Google+ Followers

terça-feira, 19 de julho de 2016

Coletânea REESCRITOS POÉTICOS DA CONTEMPORANEIDADE poemas visuais


REESCRITOS POÉTICOS DA CONTEMPORANEIDADE


É uma coletânea de poemas visuais dos autores/organizadores Marcelino Taveira da Silva e Suelio F. de Souza, projeto independente a ser publicado pela Darda Editora. 

Poesia visual é um tipo de poesia em que o texto, as imagens e os símbolos estão distribuídos de forma que o elemento visual pode assumir a principal função organizacional da obra, não dependendo da existência de símbolos de escrita para sua caracterização como poesia, embora não os excluindo.


Regulamento:

1. Poderão participar autores acima de 16 anos;

2. É necessário que as poesias não tenham sido publicadas em mídia impressa;

3. Cada participante poderá enviar 5 (cinco) poesias (poemas visuais). Dessas poesias, os autores selecionados terão publicadas 3 (três), além de um mini currículo (de até 5 linhas);

4. O autor selecionado receberá via e-mail um contrato permitindo a publicação, divulgação e comercialização da sua obra;

5. Os organizadores estabelecem a taxa de R$ 50,00, reservando aos selecionados o direito de 1 (um) exemplar com frete incluso da obra "Reescritos Poéticos da Contemporaneidade". Outros exemplares poderão ser adquiridos pelo autor selecionado por valor promocional e proporcional a quantidade até data estipulada pela editora. Após essa data, os exemplares serão comprados pelo valor de capa na loja virtual da Darda Editora. Sobre os exemplares extras, também será cobrado frete.

6. As inscrições serão feitas mediante envio da ficha de inscrição e dos textos. A ficha está disponível no site da Darda editora podendo ser solicitada também pelos e-mails: sueliofranciscodesouza@gmail.com ou marcelinotaveira.escritor@gmail.com. Os textos, juntamente com a ficha de inscrição, devem ser enviados para o e-mail dos organizadores. 

7. Não serão considerados os textos recebidos após a data limite e fora das especificações acima.

8. Os textos deverão ser enviados em fonte Arial, tamanho 12, justificado, espaçamento simples, com até 30 linhas para cada poesia. No caso de imagens, estas deverão ser em preto e branco e/ou escala de cinza, ocupando cada poema visual o limite máximo da página A5 (Largura: 14 cm e Altura: 21 cm, margens 2,5cm), com resolução de 300 dpi. Textos fora dessas características serão automaticamente desconsiderados.

9. Todos os textos passarão por revisão ortográfica e gramatical, sendo publicados após aprovação dos autores selecionados.


Prazos: 

Para enviar: até 30/10/2016
Divulgação dos selecionados: 25/11/2016
Publicação (previsão): Dezembro de 2016




Coletânea de poesias - AMORES PLATÔNICOS


AMORES PLATÔNICOS


É uma coletânea (projeto independente) de poesias dos autores/organizadores Marcelino Taveira da Silva e Natalia Quintela, sendo publicada pela Darda Editora.

Quem nunca teve um amor platônico? O amor platônico é conhecido como um amor impossível ou um amor não correspondido, um amor à distância, que não se aproxima, não toca, não envolve, é feito de fantasias e de idealização, onde o objeto do amor é o ser perfeito, detentor de todas as boas qualidades e sem defeitos. Enquanto os amantes sofrem com seus amores platônicos, os poetas versam suas dores e sentimentos através de singelas palavras. A coletânea Amores Platônicos acredita que todo amor tem um pouco de platônico, pois buscamos no ser amado a idealização do amor perfeito.


 
Regulamento:

1. As poesias deveram estar dentro do tema proposto (amores/paixões platônicas);

2. Poderão participar autores acima de 16 anos;

3. É necessário que as poesias não tenham sido publicadas em mídia impressa;

4. Cada participante poderá enviar 5 (cinco) poesias. Dessas poesias, os autores selecionados terão publicadas 3 (três), além de um mini currículo (de até 5 linhas);

5. O autor selecionado receberá via e-mail um contrato permitindo a publicação, divulgação e comercialização da sua obra;

6. Os organizadores estabelecem a taxa de R$ 50,00, reservando aos selecionados o direito de 1 (um) exemplar com frete incluso da obra "Amores Platônicos". Outros exemplares poderão ser adquiridos pelo autor selecionado por valor promocional e proporcional a quantidade até data estipulada pela editora. Após essa data, os exemplares serão comprados pelo valor de capa na loja virtual da Darda Editora. Sobre os exemplares extras, também será cobrado frete.

7. As inscrições serão feitas mediante envio da ficha de inscrição e dos textos. A ficha está disponível no site da Darda editora podendo ser solicitada também pelos e-mails: natalia.quintela@yahoo.com ou mtaveira.escritor@gmail.com. Os textos, juntamente com a ficha de inscrição, devem ser enviados para o e-mail dos organizadores.

8. Não serão considerados os textos recebidos após a data limite e fora das especificações acima.

9. Os textos deverão ser enviados em fonte Arial, tamanho 12, justificado, espaçamento simples, com até 30 linhas para cada poesia. Textos fora dessas características serão automaticamente desconsiderados.

10. Todos os textos passarão por revisão ortográfica e gramatical, sendo publicados após aprovação dos autores selecionados.


Prazos:

Para enviar: até 30/10/2016
Divulgação dos selecionados: 25/11/2016
Publicação (previsão): Dezembro de 2016

domingo, 3 de julho de 2016

APÓS O ALMOÇO

As flores que vejo
Lembram o dourado dos teus cabelos 
Ainda não tenho 
O amor dos meus sonhos 
A esmeralda dos teus olhos reflete
O brilho que meu coração 
Insiste em ver... 

Após o almoço 
Fiquei desnutrido. 
Ainda tenho vontade de dormir 
Talvez eu queira fugir 
Ou fingir que fui bem educado. 

Mesmo assim, 
Teu coração não me pertence 
Pois o convento me abriga 
Da chuva que cai à tarde... 
E que o Amor me guarde!


O SR. FOX PAULISTINHA


O Sr. Fox Paulistinha 
Cambaleou pelas ruas...
A noite chegava sempre nua. 

Nesta terra que jamais esqueci, 
Minhas melhores lembranças 
São as alegrias de infância. 

É triste ver os carros passando 
Por estradas que não têm fim 
Continuo sempre esperando 
A minha dor partir. 
Mas é complicado viver pensando 
Que a sua morte me entristece assim 
Continuo sempre esperando 
O meu coração dormir. 

Lá está a hospedaria para cães 
Lugar de paz e muito sossego 
De fato, vivi ilusões 
Atendendo seus pedidos me tornei suspeito. 

- "Bom dia!!"
Ladridos. 
É como se falassem língua nova. 
A vida tem sido uma escola. 

Aquela que poderia ser a mãe 
Dos seus vários belos filhos 
Perdeu-se por caminhos escuros 
Foi-se rumo ao desfiladeiro 
Todos vimos o seu "ir embora". 

Ó triste triste dia ausente do rir, 
Quanto tempo mais?... 
- "O Sr. Fox Paulistinha está aqui!"
Festivais. 

Todos vimos o seu voltar. 
Ela foi para casa; 
Ele morava aqui em casa. 
Não sei o que falar... 

Fiquei na dúvida:
É sempre muro, dentes, um cão? 
Deixaria falar mais alto meu coração? 

Mas a morte veio buscá-lo, 
Trazendo maças e fermento. 
A vida é alegre mas também breve.
Lembrei-me por um momento 
De que ele é do quinta o jardineiro. 
Sempre vivo em meu pensamento, 
O seu porte ordeiro 
Traz-me alegre sentimento. 




O BERÇO DE PROCUSTO

Não quero ser Pierrô de triste sorte!
Vê-la em outros braços que não os meus,
Faz-me triste na negra noite
De veras, meus sentimentos são seus.

Por que amar?
Realmente, você é livre
Agora que o meu amor a deixou.
Mas ainda sonho estar
No lugar onde o afeto nos tocou.

O próprio berço da dor fica aqui
Longe da verdadeira liberdade.
Se perdi minhas mãos,
Meu coração pode tocar sua alma
Agora já é tarde.

Agora sou menor que o grão
Da fé de estar com o seu olhar.
Meus sentimentos estão
Onde você não está.

Eu quis ser Junípero da sua janela,
Porém as pedras faziam triste barulho.
Eu sou o triste irmão
Que ficou de fora do seu coração.
Forte trovão mental me faz baralho...

O rei dos Hunos ainda me fere
A política de estar longe do seu carinho.
Vá à catedral donde emana fé
Pelo que, seguirei o meu caminho!




AVAL DOURADO


A noite não era tão fria 
Quanto minha falta de alegria 
Li "Aval dourado"
Queria estar mais vivo 
Pra dizer a todos o que sinto. 

Boa noite, amigas!
Se hoje nos faltam tais palavras, 
A culpa é do luar 
E não do meu pensar. 

E se penso tanto, tanto em mim, 
É porque ainda não chegamos ao fim. 
Somos os mesmos!
A vida nos fornece exemplos 
De como bem viver juntos 
Belos momentos. 

Amiga, a distância fere-me a alma 
Não me peça calma, 
Enquanto o amor não estiver 
Na luz que você trouxer. 

Hoje não vi você, 
Amanhã irei me arrepender 
De não ter a sua força 
De não lhe dizer: 
Por nossos fins, torça 
Enquanto você viver. 
O que falta em nossas vidas, 
Eu já pude entender. 




IULIUS

Você gosta de poesia
Ou será ignorância minha
Achar lindas palavras pra dizer
Que é sempre bom ver você?

Você gosta de poesia
Ou será ignorância minha
Dizer que seu olhar é flor de Julho
que perfuma o meu mundo?
E nele, sua concreta presença
pra mim já é tudo!

PÉTALA

O azul do céu me parece dourado
Tal como a luz do teu olhar
Aquém estou ao teu lado
Somente pra te admirar.

Dizer que és a maior,
A mais bela das donzelas
É pouco. Das canções, a melhor.
Louro, admiro tuas formas tão belas
Ouço poesias que me lembram delas.

À tarde
Sinto vontade de te ver,
De estar assim
Ao teu lado
Pra falar de maravilhas.
Contigo quero viver!

E quando a pétala dos teus lábios
Caiu sobre minha dor,
A alegria teve em mim abrigo
Senti-me inspirador
Do romantismo, condor.

Diante de ti
Eis-me aqui
O teu aroma
A razão me toma.

Nosso Deus te fez tão linda
Como as nuvens que enfeitam o céu
Tu, esfera de cristal,
Tens meu coração
A ti, faço-me pedestal
Pois não és ilusão.
O teu sorriso é um recital
Amar-te, minha decisão.



ALAGOAS


Ah! Lagoas lavam minh'alma
Tiram-me o tormento
Foi-se o sofrimento

No instante em que resolvi cantar,
Anseio te abraçar
E ouvir teu coração
Batendo junto ao meu
Ao som desta canção.

Ah! Contigo posso contar
E estar perto do céu.
Minha vida é estar junto a ti
Aqui estou...

Eu não posso nem dizer
Que é lindo poder viver
Ao lado da esperança
Que abriu a porta pra me receber!

Amiga,
Já é noite
Lembro-me de ti
Meus pensamentos se vão,
Levando-me o dia que perdi.

As luzes me fazem rir!
Mesmo que o meu cantar
Tenha se calado
Diante das tuas dificuldades...

O dia se foi
E eu te anseio amar
O amor do silêncio,
Das pedras e o fim das maldades.

Teu é o amanhecer
Daquele dia que não tem fim
Em mim. Vívido conhecer
Que te trouxe pra perto de mim!


BELEZA INEFÁVEL




Deleito-me nos braços d'aurora
E sinto que meus sentimentos
Voltam-se à exaltação da beleza,
Buscam superiores momentos.

Destruição!
Não ma tragam. Grito de horror.
Nos corações carentes de arte
Tal brado pode ferir com ardor,
Espalhando tristeza por toda parte.

Para que se conheça
Deste postulado o significado,
Há que se respirar o belo:
"É parte de nossa natureza
A inefável, cândida e régia beleza!"


CORAÇÃO DESAPROPRIADO

Logo terei de partir,
Mas teu cheiro me lembra
Os lençóis que cobriam meu ego.
Cansei de ser uma sombra
Cansei de mentir pra mim
Teu desapego me assombra!

Tu serias maior que a lua
E terias meu amor para sempre
Que tolice!
Disseste-me que não és doçura
Antanho chorava decentemente.

Não lutamos por nós
Nem o dinheiro somado pelo desejo
Certamente, minha dor atroz
É tão voraz quanto teu despojo.

Sinto muito,
Mas logo terei de partir
Para me lembrar de que fui um erro;
Pra mim, o futuro vai ter de sorrir!




MANHÃ FRUSTRADA

A sua juventude é batom nos lábios
E o que tenho são notícias velhas:
O país ainda é o mesmo
Com suas cinco medalhas.
Já disseram que você é linda?

Não estudei matemática
E não adicionei meus defeitos aos seus.
Pura é a nossa crítica;
Nossos corações, coliseus.

TRISTE LUAR

Lua,
Se eu sentisse medo,
Diria qu'estou bem
E que lhe fiquei admirando
Com olhos de admiração.

Quis ficar
Mais vinte minutos...
Os dias seriam mais de cem
Contudo, não há mais o que falar
Tudo parece ilusão.

A lua vem
E me faz sonhar
E me ouve dizer que irei embora
O ano...
Disse-me que não vi(ve)ria.

Se fosse mais cortês,
Não me poderia consolar.
As horas já passam
É tarde.
A lua já começou a reinar.


DIAS E NOITES SONHANDO...

Estive imaginando
Como brilhariam seus olhos
Sob a luz do grandioso Sol
Acaso tive apenas lindos sonhos?
Acaso poderei ver tão belos momentos?

Quantas coisas poderei dizer?
Aqui, nesses instantes de luar,
A Lua se fez bela só pra você,
E com você eu quero estar.

Eu não aprendi a mentir
Nem quero me perder.
O querer pode fácil iludir
Mas é sempre bom viver.
É bom vê-la sorrir,
Maravilhoso sonhar com você!


POESIA NO AR

Viemos falar da paz
E do amor que já mencionaram
Mas o dito
O bem escrito
Por todos os lugares temos recitado.

A cada segundo
Nesse belo mundo
Na afirmação da vitória
Venceremos,
Viveremos,
Cantaremos nossa história.

Mil sinos tocam,
Num sábado de fim de tarde
E é com grande emoção
Que formamos uma só parte
Um só coração
Uma só bela arte!